08 de Fevereiro de 2019

Falou-se também em estabilidade de medicamentos injetáveis, farmácia clínica, uso racional de antimicrobianos, entre outros temas.


Com o objetivo de uniformizar os procedimentos internos de gestão farmacêutica, ocorreu na manhã desta segunda-feira (21), no auditório do Hospital Geral da Unimed Belém (HGU), o I Simpósio de Ciências Farmacêuticas da Instituição. A reunião, foi direcionada ao público que lida diretamente com os processos de administração dos medicamentos, compreendendo o farmacêutico, enfermeiros e técnicos, até o próprio médico. 

A introdução do evento, ficou por conta da farmacêutica Ana Kamila Melo, com a temática a “Importância da Dispensação e Conferência”, a palestrante demonstrou os pontos fundamentais que compreendem o controle e distribuição dos produtos farmacêuticos. De acordo com a profissional, é fundamental que a “dupla checagem” seja realizada adequadamente. Na linguagem técnica, isto compreende, a dupla conferência dos dados do produto que deve ser dispensado ao paciente.

Para que a administração dos medicamentos ocorra devidamente, os profissionais precisam se atentar aos três fatores básicos da organização farmacêutica: prescrição, dispensação e administração. No primeiro passo dessa análise, a atenção aos dados do receituário deve ser completa, desde as informações pessoais do paciente à quantidade de medicação prescrita, considerando também as características físico-químicas do remédio. No segundo passo, que é a dispensação, a organização do ambiente e o cuidado com a concentração correta da substância são o foco nessa etapa.

Por fim, a administração da solução no paciente é o passo final, em que se deve considerar a via de administração da dosagem, a dissolução adequada da substância, e a checagem das informações pessoais do beneficiário, haja vista que o desencontro de informações, ou nomes idênticos podem colocar em risco a correta administração do medicamento, levando o profissional a ocasionar uma não conformidade nesse processo. Eliminar qualquer margem de erro nos procedimentos de fármacos da Cooperativa é a finalidade do trabalho dos profissionais da área, “manter a qualidade de vida para que o paciente se estabeleça, trabalhando também para diminuir os custos ocasionados por procedimentos equivocados, é a nossa missão”, disse a farmacêutica Ana Kamila.

Assessoria de Comunicação e Marketing da Unimed Belém - Ingrid Reis

Leia também