27 de Junho de 2019

“para cada paciente vai se discutir o que vale a pena”, foi a frase que regeu o debate.


Com um olhar cuidadoso para os pacientes infantis que estão em tratamento de doenças fora da possibilidade de cura, a Unimed Belém realizou por meio de seu hospital pediátrico, o Workshop de Cuidados Paliativos. O evento ocorreu nos dias 14 e 15 de junho na Estação Saúde Unimed, e reuniu profissionais da saúde multidisciplinar.

O Workshop se dividiu em dois dias, com programação extensa de manhã e a tarde. Falou-se de cuidados paliativos centrado em pediatria, identificação e controle dos sintomas, controle da dor sobre a ótica paliativista, limitações terapêuticas, cuidados paliativos em UTI, sedação, aspectos éticos e legais da terminalidade, entre outros assuntos. 

O objetivo da ação foi garantir que os profissionais da Cooperativa estejam preparados quando o assunto for amparar de maneira qualitativa e efetiva às crianças que vêm até o hospital pediátrico com alguma doença incurável, buscando melhorar sua qualidade de vida.

A Unimed Belém está cultivando um espaço especializado para se discutir, aprender e prestar atendimento no âmbito de cuidados paliativos, essa forma de assistir o beneficiário só reafirma o compromisso da Operadora em cuidar e garantir assistência humanizada aos pacientes. Sob essa ótica, a Diretora Clínica do HPU, Elaine Figueiredo esclarece que “esses encontros vêm nos trazer não só mais conhecimento e qualificação, mas também corroborar com as ações que já estão sendo realizadas dentro do serviço do HPU”.

As especialistas em pediatria e cuidados paliativos do Hospital das Clínicas de Porto Alegre (HCPA), Dras. Maria Antônia Mendonça e Patrícia Lago direcionaram a reunião e foram as responsáveis por gerir a roda de conversa que teve interação de todos os profissionais presentes. Para a Dr. Patrícia Lago, “o cuidado paliativo tem crescido muito, e atualmente é considerado um indicador de qualidade do serviço, então não é mais uma opção ter cuidado paliativo, tem que ter. E, em Pediatria tem ficado cada vez mais importante porque com avanço tecnológico, temos mais crianças sobrevivendo por muito mais tempo. E essas crianças devem ser vistas diferentes daquelas crianças que não tem nenhuma doença limitante na vida”, enfatizou a médica.

O grande debate em torno do assunto é repensar a forma de cuidado com o paciente paliativo, o foco do tratamento de qualidade é direcionar para cada caso um tipo de abordagem diferenciada, com a finalidade de modificar a evolução do paciente, proporcionando um atendimento personalizado: “para cada paciente vai se discutir o que vale a pena”, foi a frase que regeu o debate.  

Assessoria de Comunicação e Marketing Unimed Belém

Leia também