31 de Agosto de 2020

A Unimed, como promotora da Saúde, auxiliará com a infraestrutura de saneamento em comunidades ribeirinhas


Projeto tem como meta melhorar o índice de saneamento da região, que é um dos mais baixos do país.

 

A Unimed Belém, em parceria com a Associação das Cooperativas do Brasil (OCB), contribuirá com o saneamento básico, na Ilha de Marajó, com a construção de banheiros ecológicos nas comunidades São Ezequiel e Palheta, nos municípios de Portel e Muaná, respectivamente. Mais de 30 famílias serão atendidas com a ação e o objetivo é iniciar o trabalho na primeira quinzena de outubro.

As localidades foram escolhidas por apresentarem baixos índices de Desenvolvimento Humano (IDH) e pela população, em sua grande maioria, não ter fossa séptica em casa. A tecnologia social de baixo investimento é formada por uma bombona (tambor coletor de plástico) e serragens que possibilitam o processo de compostagem com o passar do tempo.

 

A estrutura dos ambientes será cercada por tábuas sentadas em esteio de angelim e cobertas de telhas coloniais. Embaixo do assento sanitário, a bombona fará o armazenamento dos dejetos que serão posteriormente utilizados como adubo. O banheiro também terá pia-lavatório de plástico. A Unimed Belém fará a doação de todos os materiais e a execução será feita pelos moradores.

 

"A contaminação das águas é um dos graves problemas na Amazônia, que causa impactos ambientais, além dos impactos diretos na saúde pública das comunidades ribeirinhas. Isso ocorre devido à ausência de planejamento e ação do poder público nos investimentos relacionados à infraestrutura de saneamento básico. Em cidades ribeirinhas, essa situação é ainda mais notória pela complexidade de adoção de sistemas para tratamento do esgoto", explica o coordenador da responsabilidade social da Unimed Belém, Eduardo da Silva.

 

 

 

 

 

Assessoria de Comunicação e Marketing Unimed Belém

Leia também