22 de Fevereiro de 2021

68 artistas se classificaram para a última etapa de seleção.


68 artistas se classificaram para a última etapa de seleção. Primeiros colocados receberão prêmios em dinheiro.

Na sexta-feira, 12, a Unimed Belém anunciou oficialmente os vencedores do I Concurso Cultural de Pintura em Tela. O evento, ocorrido no novo auditório máster, também serviu para a reinauguração do espaço, reformulado depois de um período de obras. O concurso selecionou 40 obras de artistas regionais em duas categorias, cooperados e não-cooperados. Os quadros foram selecionados para compor a decoração do Hospital Unimed Prime, o novo empreendimento do plano de saúde, com previsão de inauguração para o primeiro semestre de 2021.

Ao total, 68 artistas se classificaram para esta etapa final, sendo 59 obras entregues na data e local definidos no edital do concurso. Na categoria cooperados, o primeiro colocado receberá R$7.000, o segundo R$5.000 e o terceiro R$3.000. Para os não cooperados, a premiação varia de R$6.000, R$4.000 e R$2.000, respectivamente. As demais obras classificadas ganharam certificados de premiação, conforme sua colocação.

Na categoria cooperados, o 1º lugar ficou com a Dra. Suzanne Hernandes Maia, o 2° Lugar com a Dra. Lilia Lena Martins Leal e o 3º Lugar foi do Dr. Manoel Walber dos Santos Silva. Já na categoria não cooperados, os primeiros lugares foram conquistados por Samir Ferreira de Andrade, Tiago Oliveira da Silva e Emanuel José Franco Ferreira, respectivamente.

Para o Dr. Antônio Travessa, presidente da Unimed Belém, a primeira edição do concurso é vista de forma positiva, já que movimentou o cenário artístico e cultural da cidade. Desta maneira, a cooperativa médica reforça um de seus pilares que é o trabalho social.

“Embora o nosso carro-chefe seja a promoção de saúde aos beneficiários, ser fomentador de cultura é algo motivador e extremamente importante. Tivemos um grande número de artistas inscritos e de obras de qualidade, que, com certeza, vão contribuir ainda mais para a beleza do Hospital Unimed Prime”, frisa o Dr. Travessa.

De acordo com Samir de Andrade, 1º lugar na categoria não cooperados, com a obra “Ver-o-Lúdico”, a inspiração para o quadro veio dos rabiscos de desenhos infantis e do trabalho social que desenvolve com crianças no bairro da Pedreira.

“É uma releitura dos desenhos da infância. Moro na Pedreira, um local periférico, e no bairro as crianças estão sempre brincando e pintando paredes e às vezes eu as acompanho. O prêmio desse concurso será utilizado exatamente para montar um estúdio e trabalhar com esse público infantil”, revela Samir.

Já a Dra. Suzanne Maia, primeiro lugar na categoria cooperados, com a tela “A Cor da Fé”, conta que a obra representa não apenas os médicos, mas, também, todos os profissionais de saúde que trabalham para salvar vidas.

“Gostaria de agradecer a Unimed, pois esse concurso mostra que os cooperados não fazem só medicina, e que conseguimos ter um momento de paz e tranquilidade, que é necessário.  Através do meu trabalho, quis mostrar que acima dos profissionais de saúde existe um Deus que olha por nós”, pontua a Dra. Suzanne.

Para o Dr. Eduardo Carvalho, conselheiro fiscal da Unimed Belém e auditor do concurso, a iniciativa faz parte de um processo de integração cultural entre a cooperativa e o meio artístico da cidade, já que, além de premiar as melhores obras, também, oferece oportunidade para que os 40 trabalhos sejam expostos em um local de grande fluxo de pessoas.

“A nossa empresa tem uma proporção grande que vai estimular o meio artístico com as obras selecionadas para o hospital. Hoje em dia, a Unimed não é só um plano, ela integraliza vários setores da sociedade e é muito importante a inclusão das obras de arte dentro do nosso contexto. Muitas pessoas vão frequentar o Unimed Prime, analisarão os quadros e buscarão conhecer mais sobre o artista e sua trajetória. Isso também fomenta cultura da cidade”, destaca o conselheiro fiscal.

De acordo com o jurado Marinaldo Santos, um dos principais nomes das artes plásticas do Pará, várias vezes premiado e com exposições fora do país, a avaliação das obras ocorreu em vários aspectos, mas o item composição foi decisivo na hora de lançar as notas.

“Avaliamos a técnica, como o artista resolve o trabalho, a questão de direcionamento dos elementos e muito mais, porém, o que se destaca é a composição, já que as simplificações e exageros podem comprometer a obra final”, afirma Marinaldo.

O jurado César Paes Barreto, artista plástico, pós-graduado em artes visuais, frisa sobre o papel fundamental que a Unimed Belém desenvolve ao proporcionar um concurso onde diversos artistas possuem a oportunidade de mostrar os seus trabalhos e se tornarem reconhecidos no cenário local.

“Desde quando eu recebi o convite, eu fiquei muito honrado e feliz. Se outras empresas tivessem a mesma postura, teríamos um mercado mais forte, com a arte conquistando mais espaços e os artistas sendo valorizados. É uma inciativa fundamental”, finaliza César.

 

Assessoria de Comunicação e Marketing Unimed Belém

Leia também