28 de Janeiro de 2021

Na primeira fase, 20% dos profissionais de saúde devem receber as doses.


Na manhã de quinta-feira, 21, a Unimed iniciou a vacinação, contra a Covid-19, dos profissionais de saúde tanto em Belém quanto em Ananindeua, e se tornou a primeira Operadora de Planos de Saúde do estado a garantir a proteção de seu corpo clínico formado por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Nesta primeira fase, cerca de 20% do efetivo será beneficiado. A primeira dose ocorre de forma escalonada até a sexta-feira, 22, nas unidades Doca e BR, e a segunda dose deverá ser aplicada em 30 dias.

De acordo com o Dr. Antônio Travessa, presidente da Unimed Belém, neste primeiro momento as vacinas são para imunizar os profissionais que estão atuando na linha de frente do combate à pandemia e que são classificados como grupo de risco, conforme prevê o informe técnico do Ministério da Saúde.

“Queremos resguardar a saúde dos nossos cooperados e colaboradores, prioritariamente àqueles que estão na linha de frente, então estamos justamente com esta ação para prevenir e evitar que esses profissionais venham a adoecer e comprometer o atendimento à população”, comenta o Dr. Travessa.

Segundo a Drª Elaine Figueiredo, coordenadora dos Recursos Próprios, a Unimed Belém iniciou o contato com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), para garantir as doses aos profissionais da cooperativa, assim que as vacinas chegaram à capital paraense e que o percentual correspondente foi repassado respeitando o limite de doses que a cidade também recebeu.

“Nosso objetivo é cuidar da população e o que nos move, nesse momento, é cuidar de quem cuida da saúde da população. Estamos em contato direto com a coordenação da Sesma. A partir do recebimento das doses, fomos informados do quantitativo que nos seria destinado nesse primeiro momento. A gente sabe que o mundo inteiro está em busca das vacinas e continuaremos trabalhando para providenciar a proteção aos nossos profissionais”, conta a Drª Elaine.

O Dr. Roberto Magalhães, infectologista e coordenador do Núcleo de Segurança do Paciente (Nusep), e que, também, participou dos contatos com a Sesma para que a vacinação na Unimed Belém pudesse ocorrer da forma mais breve possível, pontua que é estratégico a vacinação começar pelos profissionais de saúde.

“Quando esse grupo é vacinado, aumenta a possibilidade de mais pessoas serem tratadas. É uma esperança para diminuir os números da pandemia que há quase um ano nos leva a um trabalho acentuado. Eu, como intensivista, continuo atendendo pacientes em áreas críticas de CTI e unidades graves”, destaca o Dr. Roberto.

Vacinados

A primeira pessoa vacinada na Unimed Belém foi Regina Célia Silva, técnica de enfermagem, de 56 anos, e que há 19 anos trabalha na unidade Doca. Para ela, a vacina é importante, mas os cuidados devem ser mantidos para que os casos de Covid-19 sejam controlados.

“Estou emocionada. Agradeço a Deus e a Unimed Belém por esse momento. Eu trabalho direto com os casos de Covid, atendendo os pacientes com amor e cuidado. Sempre usei os EPI’s da forma adequada, mas existia o temor da contaminação. Agora estou vacinada, mas continuarei seguindo todos os protocolos e espero que a as pessoas também tenham esse cuidado”, relata Regina.

A segunda vacinada foi a Drª Farid Ribeiro, reumatologista, de 67 anos, cooperada há mais de 20 anos. Assim como a dona Regina, a médica também ressalta que é necessário que cada pessoa faça a sua parte e se atente às recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Todos estamos carentes de saúde, de amizade e do abraço, e sem a vacina não vamos ter isso de volta. A vacinação, o distanciamento social e a assepsia das mãos são importantes. Se todos fizermos a coisa certa, o nosso país e o mundo sairão dessa situação”, finaliza a Drª Farid.

Assessoria de comunicação e Marketing Unimed Belém

Leia também